BrLab 2018

Palestrantes e convidados

  • Aline Mazzarella

    É formada em Cinema pela UFF, com mestrado em Artes Visuais pelo IUAV/ Veneza. Desde 2014 é sócia e responsável pelo Desenvolvimento de Negócios do Estúdio Giz, produtora audiovisual carioca. É produtora dos longas “Paulistas”, de Daniel Nolasco (Dok Leipzig, 2017); “Sick sick sick”, de Alice Furtado (coprodução com Ikki Films/FRA, Baldr Film/HOL), atualmente em pós-produção. É coprodutora de “El alma quiere volar”, de Diana Montenegro (cinema co./COL), em pós-produção; e “Los abismos”, de Agustina San Martín (Caudillo Cine/ARG), em desenvolvimento.

  • Ariene Ferreira

    Produtora executiva, tem atuado com projetos de ficção e documentários em diversas produtoras, como MMTV, Tangerina Entretenimento, Bossa Nova Films, Elástica Filmes, Buriti Filmes e Gullane Filmes. Alguns dos projetos que produziu foram a série “Insustentáveis”, “Tropicália”, “O piano que conversa”; também participou da produção de “Bicho de sete cabeças”, “Terra vermelha”, “Carandiru”, “O signo da cidade” e “Gigantes do Brasil”. No Amazonas Film Festival foi curadora para a competição de longas- -metragens de ficção. Atualmente participa do coletivo c/as4atro, que tem como objetivo a orientação, produção e análise de projetos em desenvolvimento, bem como a realização de obras audiovisuais.

  • Camila Nunes

    Com formação em Cinema, Camila Nunes iniciou sua carreira no Grupo Polo de Imagem / Pacto Audiovisual / TAL – Televisão América Latina, atuando nas áreas de direção de vinhetas, spots promocionais, documentários e também na produção executiva de projetos de conteúdo. Trabalhou no talk show “Irritando Fernanda Young”, da GNT, como diretora assistente, e foi produtora executiva da minissérie “Duas histéricas na Terra Santa”, GNT. Desde 2012 trabalha como produtora executiva do núcleo de Entretenimento da produtora bigBonsai. Entre suas produções mais recentes estão as séries documentais “My life is circus”, da HBO Latin America, e “Palavras permanecem”, do canal Curta!. Está com o documentário musical “O barato de Iacanga” em fase de pós-produção para o GNT. Atualmente desenvolve cinco projetos de ficção de coprodução internacional com as produtoras Rizoma Films e Le Tiro da Argentina, Manufactura de Películas e Treból Films do Chile e Animal Tropical Cine do México.

  • Dag Hoel

    Dag Hoel nasceu na Noruega. é produtor, diretor e escritor. Conhecido pelos documentários “Big John” (2008) e “A beautiful tragedy” (2008). Seu compromisso é trabalhar com questões de direitos humanos e desenvolvimento do terceiro mundo. Paralelamente ao seu trabalho para a tela, ele escreve não-ficção sobre uma variedade de assuntos.

  • Deborah Osborn

    Mestranda em Cinema pela Goldsmith College-University of London, como bolsista Chevening do British Council, Deborah Osborn começou sua carreira trabalhando no Departamento de Cinema do MIS-SP. É sócia-fundadora da bigBonsai, responsável pela Produção Criativa dos projetos de entretenimento da produtora. Atua como júri e palestrante em diversos festivais, como SXSW, Festival de Gramado, Mostra Olhar de Cinema (Curitiba), Rio Market (Festival do Rio), Cine PE de Recife e Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo. Deborah foi curadora e produtora da mostra de cinema e workshop “Kevin Macdonald – um olhar plural”, em parceira com o Festival Cultura Inglesa, que aconteceu em junho de 2017 no MIS-SP. No mesmo ano, foi a única representante brasileira selecionada para participar do EAVE Producers’ Workshop, um dos principais encontros da rede europeia de empreendedores do audiovisual. Também leciona semestralmente o curso “Documentário para Cinema e TV” no Centro Cultural B_arco em parceria com a jornalista Flávia Guerra.

  • Erica Barbiani

    Após um PhD em Sociologia, Erica Barbiani deixou o mundo acadêmico com um desejo de contar histórias. Os enredos, ela suspeitava, eram uma maneira melhor de captar a atenção do público. Desde 2003, ela produz filmes para a Videomante, uma empresa com sede na Itália. Suas produções recentes incluem “The special need”, de Carlo Zoratti, coproduzido pela DETAiLFILM, estreado no Locarno Film Festival e vencedor do Golden Dove no Dok Leipzig, e “The good life”, o primeiro documentário do autor italiano Niccolo Ammaniti. Erica tem dois romances publicados: seu trabalho mais recente, “Guida sentimentale per camperisti”, será publicado em outubro próximo por Einaudi. Atualmente ela escreve o roteiro de “Wishing on a star” com o diretor eslovaco Peter Kerekes e trabalha como selecionadora de programas de treinamento, como o TorinoFilmLab e o Biennale College Cinema.

  • Eva Morsch Kihn

    Formada em Administração de Organizações Culturais na Universidade Paris Dauphine, é também licenciada em Estudos de Cinema e Literatura. Administra o Rencontres Cinémas d’Amérique Latine em Toulouse. São três encontros: Cine en Construcción (trabalhos em andamento), Cine en Desarrollo (projetos) e CinemaLab (oficina para profissionais da difusão). É membro do comitê de seleção do Cine en Construcción e curadora da seleção de curtas para o festival. Faz parte das comissões de seleção para o Fundo de Apoio ao Desenvolvimento de Roteiros de Amiens e para o Fundo Regional de Midi-Pyrénées. Regularmente participa de atividades e oficinas como tutora e palestrante.

  • Gerardo Michelin

    Diretor da LatAm cinema, portal de informação para profissionais da indústria do cinema latino-americano. Anteriormente foi produtor de TV no Uruguai, repórter de informativos na Espanha, jornalista especializado no setor audiovisual na Espanha e na Inglaterra e chefe de imprensa na Cartoon Forum e Cartoon Movie, eventos organizados pela Associação de Produtores Europeus de Animação.

  • Giancarlo Nasi

    Graduou-se em Ciência Política e fez mestrado em Direito Econômico da Propriedade Intelectual em Sciences Politiques, Paris. Trabalhou na agência de mídia WPP Vietnã, em Ho Chi Minh, na produção de conteúdo de televisão e depois como advogado associado da Alessandri & Co. Atualmente dirige a área de cinema de Quijote, onde produziu filmes como “Chile factory” e Jesús. É coprodutor de “La tierra y la sombra”, vencedor do prêmio Caméra d’Or e de “Marilyn”, estreado em Panorama Berlinale. Seu último longa-metragem, “Los versos del olvido”, de Alireza Khatami, estreou na seção Orizzonti do Festival de Veneza ganhando o Leão por Melhor Roteiro.

  • Gilberto Toscano

    Graduado em Direito pela Universidade de São Paulo – USP e pós graduado em Direito do Entretenimento pela Escola Superior de Direito da OAB / SP. É sócio do escritório Cesnik, Quintino & Salinas Advogados, e antes foi business e legal affairs na O2 Filmes. Toscano assessora emissoras, produtoras, distribuidoras, plataformas digitais, talentos e outros agentes do mercado de entretenimento. É palestrante e professor em diversos eventos e cursos sobre Entretenimento e é vice-presidente da Comissão de Direitos Autorais, Direitos Imateriais e Entretenimento da OAB/RJ.

  • Gustavo Steinberg

    Trabalha com cinema desde 1995 como produtor executivo, produtor, roteirista e diretor. Produziu seis filmes de longa- -metragem, tendo também roteirizado quatro e dirigido dois deles. Acaba de concluir a animação do longa-metragem “Tito e os pássaros”, selecionado para a competição oficial do Festival de Annecy em 2018. Seus outros filmes já ganharam prêmios de Melhor Filme Tribeca Festival (Nova York), Melhor Documentário Opera Prima no Festival Latino Americano de Los Angeles, Digital Award no 60º Festival de Veneza, Seleção Oficial do 37º Festival de Nova York, entre diversos outros. Concebeu e produz o BIG Festival (Brazil’s Independent Games Festival), primeiro festival independente de games da América Latina. Também concebeu e produz o maior festival de novos talentos da música do Brasil, o Dia da Música.

  • Ivan Melo

    Trabalhou como produtor executivo da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e como diretor artístico do Festival de Paulínia. Foi ainda diretor de projetos do Polo de Paulínia, através do qual esteve envolvido na realização de 40 longas-metragens brasileiros. Trabalhou nas distribuidoras independentes Cult Filmes – uma parceria entre as distribuidoras Imovision, Pandora e Filmes da Mostra –, especializada no mercado de vídeo doméstico, e como responsável internacional da Mais Filmes, empresa pioneira em filmes de arte para o mercado de Cinema e Televisão. Participou da comissão de seleção de alguns dos mais importantes editais do país, como o Petrobras Cultural, BNDES Cultura, Spcine, PROAC, entre outros. Foi produtor executivo dos documentários “Bem-vindo a São Paulo”, de Tsai Ming- Liang, Maria de Medeiros, Philipe Noyce, entre outros, e de “Top 25”, de Richard Luiz, além do ainda inédito “Alvorada”, de Anna Muylaert, Cesar Charlone e Lô Politi. Em 2006 criou a produtora CUP FILMES, com o intuito de produzir filmes em parceria com empresas interessadas em investir em cinema independente, jovens realizadores e coproduções internacionais. Foi coprodutor do longa “Corpo elétrico”, de Marcelo Caetano, com quem está desenvolvendo um novo projeto, “Baby”, vencedor do Hubert Bals Fund para Desenvolvimento. Criou com Anna Muylaert o Núcleo Criativo Chapa Libre, através do qual estão desenvolvendo dois projetos de longa-metragem, duas séries para Televisão e um documentário de longametragem. Está associado também à empresa capixaba UACARI FILMES, de Juliano R. Salgado (“O sal da terra”) e de Ivi Roberg, com os quais desenvolve o longa-metragem “Vitória”, o documentário “Amazônia” e a ficção “Não dá para parar agora”, este uma parceria entre a UACARI, a CUP FILMES, a Dezenove Som e Imagens, de Sara Silveira. Com sua sócia e irmã, a cineasta Ilaine Melo, Ivan prepara o curta “Licença poética” e o longa “Palavra presa”.

  • Julia Alves

    Graduada pela ECA-USP, tem trabalhado em projetos independentes para TV e cinema desde 2009. Começou produzindo diretores renomados, como Bruno Barreto, Cao Hamburguer e Eliane Caffé. Criou a Punta Colorada de Cinema em 2014, pela qual coproduziu o primeiro longa de Ricardo Alves Jr., “Elon não acredita na morte”; o novo longa-metragem de Adirley Queirós, “Era uma vez Brasília”; “Los territórios”, de Ivan Granovsky; “Invisible”, de Pablo Giorgelli, além de ser produtora associada de “Zama”, de Lucrecia Martel (Veneza 2017).

  • Juliette Lepoutre

    Juliette Lepoutre chega à produção depois de quinze anos trabalhando com empresas do Vale do Silício, especializada no desenvolvimento de mercados internacionais. Em 2007 ela cofundou a produtora MPM Film, e seu portfolio de coproduções inclui diretores como Adrian Sitaru, Florin Serban, Béla Tarr, Júlia Murat, Teona Mghvdeladze, Panos Koutras, Hector Galvez, entre outros. Em 2015 fundou a Still Moving com Pierre Menahem. Sua primeira coprodução, “Pendular”, de Julia Murat, ganhou o Prêmio FIPRESCI no Berlinale (Panorama). Atualmente “The fever”, de Maya Da Rin, está em pós-produção, “Feathers of a father”, de Omar El Zohairy (Egito) e “Tlamess”, de Ala Eddine Slim (Tunísia) estão em pré-produção. O portfolio de vendas da empresa também inclui “Djon África”, de Filipa Reis e Joao Miller Guerra, o longa tunísio “The last of us”, indicado ao Oscar, de Ala Eddine Slim, e o premiado “In the last days of the city”, de Tamer El Said (Egito). Lepoutre participou como especialista de diferentes laboratórios de produção, como Toronto, Rotterdam, BAL e Berlinale Talents, membro do júri em diferentes festivais e do comitê de seleção de 2015 da Cinefondation Residence.

  • Mariana Brasil

    Tem 20 anos de experiência em produções independentes e 9 em produções para TV – em produtoras e em um canal – com participação em mais de 50 obras para TV. Desde 2012 é sócia da empresa Mari Brasil que faz consultoria e ministra cursos em desenvolvimento de projetos para TV. Atendeu mais de 1000 alunos e produtores independentes no Brasil. No início de 2017 se uniu a outras três profissionais do mercado num coletivo de produtoras executivas com serviços de produção, orientação e análises de materiais audiovisuais. C/as4atro são quatro executivas com áreas complementares de atuação na produção audiovisual e consultoria de longas, séries de TV, propaganda e marketing.

  • Marina Pompeu

    Cineasta formada pela Universidade Federal Fluminense e pós-graduada em Realização Audiovisual pela Escola Superior de Audiovisual de Toulouse (França), teve passagem por produtoras brasileiras, produzindo conteúdo para canais como Nat Geo, Canal+, Nine Network e TLC. No campo de curadoria e programação, fez parte do Comitê de Seleção do Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro por quatro anos e do Cinélatino Rencontres de Toulouse por dois anos, tendo também trabalhado no Short Film Corner, durante o Festival de Cannes. Em 2013 começa a trabalhar no Canal Brasil avaliando conteúdo nacional. Atualmente integra a equipe de Projetos, sendo responsável pela análise de roteiros, interface com produtoras e distribuidoras, negociação de contratos de coprodução e representação do canal em rodadas de negócios.

  • Michael Wahrmann

    Diretor e produtor, natural de Montevidéu, Uruguai, mora no Brasil desde 2004, e se formou em Cinema pela FAAP/SP. Seus curtas “Avós” (2009), “Oma” (2011), “The beast” (2016) e seu longa “Avanti Popolo” foram exibidos em inúmeros festivais internacionais e nacionais, como Quinzena de Cannes, Berlinale, Rotterdam e Brasília, e receberam mais de 60 prêmios ao longo dos últimos anos. É sócio da Sancho & Punta, pela qual produziu longas como “Los territórios”, de Ivan Granovsky (Rotterdam 2017); “Invisible”, de Pablo Giorgelli (Veneza, Orizzonti, 2017), “Elon não acredita na morte” (Rotterdam, 2017), de Ricardo Alves Jr.; e produtor associado de “Zama”, de Lucrécia Martel (Veneza, 2017), entre outros.

  • Molly O’Keefe

    Molly supervisiona todos os aspectos dos Programas de Artistas do TFI, com foco em editais e workshops. Entre os programas mais notáveis estão Through Her Lens: Tribeca Chanel Women’s Filmmaker Program, AT&T Untold Stories, Tribeca All Access, TFI Sloan Filmmaker Fund, IWC Filmmaker Award e TFI Latin America Fund, para os quais administra o relacionamento com os cineastas, implementação e avaliação de programas, controle de despesas, fomento da indústria e mentores e produção de eventos durante todo o ano e no Tribeca Film Festival. Antes de ingressar no TFI em 2015, Molly foi diretora de desenvolvimento e produção da Sundance Productions, onde desenvolveu séries para a CNN, FX, HBO, Ovation, EPIX, Sony e Paramount. Antes de regressar a Nova York, ela trabalhou para a Red Hour Films, produtora de Ben Stiller com sede em Los Angeles, e produziu a peça “Girls talk”, de Roger Kumble, aclamada pela crítica e estrelada por Brooke Shields e Constance Zimmer em West Hollywood. Ela se formou na Emerson College.

  • Paula Gastaud

    Paula Gastaud iniciou seu trabalho na indústria cinematográfica em 2001 como produtora executiva de filmes e conteúdo para televisão no Brasil. Desde 2009, seu foco tem sido o mercado internacional, desenvolvendo estratégias e oportunidades de negócios para produtores ao redor do mundo. Na Sofá Digital desde a criação da empresa, coordena o licenciamento, programação e operação do conteúdo para distribuição nas plataformas de VOD. Como consultora de desenvolvimento de projetos cinematográficos e palestrante, já ministrou uma série de laboratórios e programas de treinamento em instituições prestigiadas de formação, festivais de cinema e mercado, como Locarno Industry Academy, EICTV-Cuba, BrLab, MICA, FIDBA, Mar Doc Lab, BAM, Malaga Film Festival, Chile Docs, SANFIC, Panamá Film Festival, Marché du Film Producers Network, San Sebastián Film Festival

  • Rodrigo Chacon

    Formado em Direito pela PUC-SP e pósgraduado em Direito do Entretenimento, Mídia e Propriedade Intelectual na Escola Superior de Direito da OAB, Rodrigo Chacon advoga na área audiovisual do escritório Cesnik, Quintino e Salinas Advogados, onde atua tanto na parte consultiva quanto contratual, assessorando os diversos agentes da indústria audiovisual brasileira, como produtoras, emissoras, distribuidoras e programadoras brasileiras e internacionais. Ministra também aulas como professor convidado em cursos voltados para este mercado.

  • Sandro Fiorin

    Brasileiro, fundou a produtora FiGa Films em Los Angeles, em 2006, com Alex Garcia, para descobrir e distribuir conteúdo latino-americano na América do Norte, assim como representá-lo pelo mundo. Estudou cinema na FAAP e na New School em Nova York, onde viveu por 14 anos, mudando-se para Califórnia em 2001. Trabalhou no Film Forum, Universal e First Look Films. Foi programador do Festival de Cinema Latino em Atlanta e diretor artístico do IndieBrazil Film Festival em Los Angeles. Palestrante e júri em Sundance, San Sebastián, Cannes, Rotterdam e outros festivais. Desde 2010 é produtor de projetos como “Verano de Goliat”, “Los viejos” e “Avanti Popolo”.

  • Sara Silveira

    Sara é atualmente uma das mais ativas produtoras de filmes no país. Em 1991 fundou a empresa produtora Dezenove Som e Imagens, junto ao cineasta Carlos Reichenbach e, desde então, a administra em parceria com Maria Ionescu. Dentre suas produções estão os premiados “Alma corsária”, “Bicho de sete cabeças”, “Durval discos”, “Cinema, aspirinas e urubus” (que ganhou o National Educational Prize no Festival de Cannes de 2005, Un Certain Regard e foi também o Brazilian Official Entry para Melhor Filme de Língua Estrangeira no Oscar de 2007) “As boas maneiras”, de Juliana Rojas e Marco Dutra (vencedor do Leopardo de Prata, prêmio Especial do Júri no 70º Festival de Locarno – Concorso Internazionale); “Vazante”, de Daniela Thomas (selecionado pelo Festival de Berlim no Panorama Special 2017); “Pela janela”, de Caroline Leone (selecionado pelo Festival de Rotterdam na seção Bright Future 2017, no qual recebeu o Prêmio da Crítica FIPRESCI). Teve participação como jurada da seleção Carte Blanche do 67º Festival de Locarno e como presidente do júri da sessão Horizontes Latinos da 62ª edição do Festival de San Sebastián.

  • Sébastien Onomo

    Após graduar-se em Literatura Moderna em 2008 pela Sorbonne Nouvelle, ingressou no INA-Institut National de l’Audiovisuel, onde se tornou mestre em Produção Audiovisual e Digital em 2010. Foi produtor na Les Films d’Ici de longas-metragens e documentário de TV e na Entre Chien et Loup (Diana Elbaum e Sébastien Delloye). Em 2015 participou da criação da empresa Special Touch Studios, com Olivier Laouchez. Com sua experiência na produção audiovisual e digital, Sébastien levou seus conhecimentos para diversos programas de universidades e escolas, como o INA, o FEMIS, o Les Gobelins, a Universidade de Paris- Diderot 7 e a Universidade Paris 3 Sorbonne Nouvelle. É também especialista em fundos CNC e regionais e em 2017 foi nomeado copresidente, com Aïssa Maïga, da Unifrance. Entre cerca de vinte longas-metragens e filmes de televisão produzidos por ele, podemos mencionar “Le Gang des Antillais” (2016), de Jean-Claude Barny; “Ebony”, de Moussa Touré; “Funan”, de Denis Do, ganhador em 2018 do Cristal de Melhor Filme de Animação no prestigiado Festival Internacional de Annecy.

  • Silvia Cruz

    Administradora de Empresas pela ESPM, trabalhou na distribuidora independente Pandora Filmes, contribuindo na criação do Cineclube do Belas Artes. Produziu o projeto “Vá ao Cinema”, exibindo mais de 20 filmes nacionais no estado de SP. Trabalhou na distribuidora Europa Filmes, no lançamento de filmes nacionais, e na produtora Coração da Selva, na produção executiva. Em 2010 fundou a Vitrine Filmes, distribuindo mais de 100 títulos, como “O som ao redor”, “Hoje eu quero voltar sozinho” e “Aquarius”. Em 2011 iniciou o projeto Sessão Vitrine que desde 2016 recebe o apoio da Petrobras e lançou até o momento 30 filmes.

  • Sofia Marquez Moreno

    Sofia trabalha atualmente na produtora mexicana Alebrije Producciones, na qual é responsável pelas vendas de seu catálogo, que conta com mais de 140 títulos. Foi gerente de vendas da Mundial Sales, divisão de vendas internacionais da IM Global com sede na Cidade do México, focada exclusivamente no cinema latino-americano e ibero-americano e na coprodução e cofinanciamento para televisão. Anteriormente, Sofia atuou como chefe de vendas internacionais no Instituto Mexicano de Cinema e, antes disso, foi chefe de distribuição da Canana, uma das principais distribuidoras independentes da América Latina. Ela se formou com honras na Universidade Carlos III em Madri, e fez um mestrado em Indústria do Cinema.

  • Talita Arruda

    Talita Arruda atua desde 2009 nas áreas de curadoria, distribuição, programação e exibição de filmes nacionais. Trabalhou na aquisição de conteúdos nacionais na agregadora Synapse Brasil; coordenou o “Porta Curtas” e esteve à frente do “A Vida é Curta!”, programa semanal exibido pelo Canal Curta!. Desde 2016, coordena a Sessão Vitrine Petrobras, plataforma de lançamento coletivo da distribuidora Vitrine Filmes.