Prêmios

Prêmio Aquisição Figa/Br

Prêmio Aquisição Figa/Br

A FiGa Films é uma produtora, distribuidora e agência de vendas internacionais. Seu acervo em constante crescimento conta com filmes premiados, reconhecidos pela crítica, e que estreiam nos melhores festivais do mundo – como Pelo Malo, ganhador da Concha de Ouro no Festival de San Sebastián em 2013.

Fundada em 2006, a FiGa logo se constituiu como uma voz verdadeiramente independente para o que há de melhor na produção audiovisual no mundo, com foco especial na América Latina. Relações duradouras com um enfoque pessoal são fundamentais no trabalho de seus cofundadores, Alex Garcia e Sandro Fiorin.

A missão da FiGa é selecionar e adquirir os direitos de projetos de documentário e/ou ficção com relevância social e de diretores em ascensão para licenciá-los internacionalmente. Como coprodutora, seu primeiro filme, Verano de Goliat, de Nicolas Pereda (México, 2010), ganhou o Leão de Ouro em Veneza. Cinema Novo (Brasil, 2016), Melhor Documemntario em Cannes, e A cidade onde envelheço (Brasil/Portugal, 2016) Melhor Filme em Brasilia e Biarritz, são alguns dos titulos mais recentes representados pela empresa.

O Prêmio Aquisição FiGa/Br será concedido a um dos projetos brasileiros participantes do BrLab 2015 com maior potencial para o mercado internacional. Em 2015, o prêmio foi concedido a O filho plantado, de Thais Fujinaga.

Prêmio Aquisição Vitrine Filmes

Prêmio Aquisição Vitrine Filmes

Fundada em 2010 por Silvia Cruz, a Vitrine Filmes é uma empresa dedicada principalmente à distribuição de filmes brasileiros, buscando a valorização do cinema nacional e do cinema independente mundial, através dos seus títulos internacional.

Foi responsável por grandes lançamentos, como o de O Som ao Redor, de Kleber Mendonça Filho, vencedor de diversos prêmios no Brasil e no mundo, incluindo Festival de Gramado, Festival do Rio e Mostra de São Paulo. O filme atingiu mais de 95 mil espectadores, foi indicado brasileiro ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e ficou em cartaz por mais de 6 meses nas salas de cinema do Brasil, Frances Ha, de Noah Baumbach, filme de co-produção brasileira e Americana que teve a atriz principal, Greta Gerwig concorrendo ao Globo de Ouro de Melhor Atriz e Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, dirigido por Daniel Ribeiro e inspirado no curta Eu Não Quero Voltar Sozinho. O filme ganhou o Urso de Cristal na 58ª Berlinale, além de diversas outras premiações, e fez um excelente caminho pelas salas de cinema do Brasil, ultrapassando os 200.000 espectadores. Em 2016 lançou o filme Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert,  Aquarius, que teve sua estreia na competição oficial do Festival de Cannes e que já ultrapassou 300.000 espectadores em salas de cinema no Brasil e Cinema Novo, de Eryk Rocha, que ganhou o premio máximo na seção de documentários também em Cannes deste ano.

Já confirmados no catálogo dos próximos anos, a Vitrine Filmes conta com os próximos filmes de Charly Braun (de Além da Estrada), Eliane Caffe  (Narradores de Javé), Sérgio Machado (Cidade Baixa) além de mais outros 30 títulos dos mais variados diretores brasileiros.

A Vitrine Filmes reafirma seu compromisso com o cinema latino-americano ao apoiar o BrLab pelo quinto ano consecutivo, através da concessão de um prêmio aquisição a um projeto estrangeiro participante das atividades. Em 2015, o projeto vencedor do Prêmio Aquisição Vitrine Filmes foi El estudiante de cine, de Agustín Godoy.

Prêmio Cinéma en Développment

Prêmio Cinéma en Développment

O Cinéma en Développement é um espaço desenhado como um local de encontros entre profissionais da América Latina e da Europa, e não tem o intuito de se caracterizar como mercado. O objetivo da plataforma é que profissionais que desejem descobrir talentos e projetos interajam com produtores e diretores que estejam desenvolvendo algum filme e queiram criar ou fortalecer sua rede de contatos profissionais.

O Cinélatino Rencontres de Toulouse e o BrLab uniram-se, desde 2013, com o objetivo dar continuidade em Toulouse ao trabalho de apoio a diretores e produtores brasileiros cujo projeto tenha sido selecionado conjuntamente. Desde então os projetos “Paterno” (2013), “A morte habita à noite” (2014), “O Filho Plantado” (2015) foram os selecionados a participar do programa.

Esta aliança pretende manter na Europa a dinâmica de formação e de apoio iniciada na América Latina, e com isso permitir que um dos projetos participantes se beneficie de um programa personalizado, com apresentação de seu projeto nos “1-to-1” do Cinéma en Développement, encontros com profissionais relevantes da indústria, estudos de casos, e acesso às projeções do Cinéma en Construction.

O Cinéma en Développement terá lugar no marco da plataforma profissional do Cinélatino 29º Rencontres de Toulouse (17 a 26 de março de 2017). A participação dos profissionais brasileiros vinculados ao projeto selecionado contará também com o apoio da ANCINE – Agência Nacional de Cinema. Em 2015, o prêmio do Cinéma en Développment foi concedido a O Filho Plantado, Thaís Fujinaga.

Prêmio de Mentoria do Tribeca Film Institute

Prêmio de Mentoria do Tribeca Film Institute

O Tribeca Film Institute vai selecionar três projetos com história internacionais envolventes e apoiá-los através de mentoria via Skype. Através destas sessões de mentoria, o TFI fornecerá feedback a respeito do projeto  e também do pitch, além de oferecer orientação voltada à expandir o alcance do filme dentro da indústria norte-americana. O Tribeca Film Institute é uma organização sem fins lucrativos que atua o ano inteiro, capacitando cineastas e artistas de comunidades menos favorecidas e apoiando sua inserção na indústria do entretenimento.

Miami Film Festival

Miami Film Festival

Celebrando a sua 34a edição, entre os dias 3 e 17 de março de 2017, o Festival de Cinema de Miami, do Miami Dade College, é considerado o festival mais importante para o cinema iberoamericano nos Estados Unidos, e uma plataforma de lançamento para documentários e ficções internacionais. O festival, o único de cinema internacional sediado em uma universidade, é anual, produzido e apresentado pelo Miami Dade College, e atrai mais de 60 mil espectadores e mais de 400 realizadores, produtores, atores e profissionais do audiovisual. Nos últimos cinco anos, o festival exibiu filmes de mais de 60 países, incluindo 300 estreias mundiais, norteamericanas, estadunidenses e na costa oeste dos Estados Unidos. Anualmente o Festival concede mais de 70 mil dólares em prêmios para as sessões competitivas.

O foco especial do festival no cinema iberoamericano tem feito do evento uma plataforma natural para o descobrimento de novos talentos desse território tão diverso e heterogêneo. O festival também oferece oportunidades educacionais únicas para os estudantes de cinema e a comunidade local em geral. No mês de outubro, o Festival de Cinema de Miami organiza um festival de outono, o GEMS, que apresenta os filmes de maior relevância da temporada.

As iniciativas voltadas à indústria incluem sediar em Miami o o Mercado de Cinema Francês, organizado pela Unifrance, um programa de seminários focados na desigualdade de gênero e raça na indústria cinematográfica, numa parceria com a Google, e Encuentros, uma competição para filmes em pós-produção que outorga um prêmio de 10 mil dólares.

O Festival de Cinema de Miami concederá um prêmio que viabilize a um dos projetos participantes sua  continuidade e desenvolvimento, e traçará, em sua próxima edição, metas para fortalecer os laços internacionais. O Festival disponibilizará estadia de 3 (três) noites no hotel sede do Festival, em Miami, e uma acreditação de Indústria para o produtor do projeto selecionado.