Mesas abertas

24/10 – segunda-feira • 19h às 21h
CPF – SESC | R. Dr. Plínio Barreto, 285 – Bela Vista

Mesa 1 – Aspectos legais e artísticos para composição de uma coprodução internacional
Sara Silveira (SP – Brasil) y Gilberto Toscano (RJ – Brasil)
Mediação: Agustina Chiarino (Uruguai)

A realização de um filme que envolve mais de um país coprodutor geralmente exige um desenho de produção que siga um conjunto de leis e regras previstas em acordos internacionais (bilaterais ou multilaterais) e as brasileiras que normatizam práticas da coprodução audiovisual internacional. Frequentemente utilizados para o financiamento, produção e/ou pós-produção cinematográfica, os mecanismos de coprodução devem ser avaliados e incorporados desde a fase de desenvolvimento de uma obra audiovisual, com a condição de que haja uma necessidade real e justificativas artísticas para essa configuração. Levando esses pontos em consideração, a mesa abordará os aspectos legais e práticos a serem avaliados – entre prós e contras – pelos produtores ao realizar uma coprodução.

25/10 – terça-feira • 19h às 21h
CPF – SESC | R. Dr. Plínio Barreto, 285 – Bela Vista

Mesa 2 – Novas janelas e caminhos para distribuição digital
Paula Gastaud (SP – Brasil), Paula Astorga (México) y Jean Thomas Bernardini (França/Brasil)
Mediação: Eloísa Lopez Gomez (Brasil/EUA)

A distribuição de conteúdo audiovisual On Demand tornou-se o braço de distribuição mais sólido da indústria audiovisual nos últimos anos. Usuários, plataformas, youtubers: todo dia surgem novos formatos e novas maneiras de fazer com que um conteúdo se aproxime do seu público. A indústria cria modelos de negócios e estratégias operacionais de tecnologia e de marketing que atendam à demanda pelo conteúdo, permitindo que a farta oferta disponível tenha distribuição garantida e alcance de público. Como este processo está se solidificando no mercado? Quais os próximos passos?