Palestrantes

  • Bruno Betatti

    Bruno Betatti

    É produtor dos longas-metragens El Cielo la tierra y la lluvia (2008), Ilusiones ópticas (2009), Huacho (2009), Manuel de Ribeira (2010), Bonsái (2011), Il Futuro (2013) e The Summer of flying fish (2013). É bacharel em Filosofia, consultor de projetos audiovisuais e diretor do Festival Internacional de Cine de Valdívia (2010-2013). Palestrante no TyPA, BoliviaLab, EAVE Puentes, entre outros; também foi palestrante em 13 cidades chilenas com o propósito de formar novos produtores audiovisuais em todo o Chile. É membro do Eurodoc 2011 e também da ACE-Producers desde 2009.

    [Continuar Lendo]
  • Mariana Rondón

    Mariana Rondón

    Estuda cinema de animação em Paris e se gradua na Escuela de Cine EICTV, Cuba. Atualmente produz “Contactado”, que será dirigido por Marité Ugás. Em 2013 estreia como diretora, no filme “PELO MALO”, ganhador da CONCHA DE ORO ao Melhor Filme Do Festival de San Sebastián; entre outros 44 prêmios. (Prêmios de Roteiro: Festival de Torino, Mar del Plata, entre outros. Produz EL CHICO QUE MIENTE, dirigido por Marité Ugás, estreado no Berlinale Generation 2011. Em 2007 estreia POSTALES DE LENINGRADO, recebendo 25 prêmios internacionais. A LA MEDIA NOCHE Y MEDIA (1999), co-dirigido com Marité Ugás, estreou no Festival Internacional de Tokio. Nas Artes Plásticas trabalha em robótica e arte electrônica.

    [Continuar Lendo]
  • Marité Ugás

    Marité Ugás

    Nasceu em Lima, Peru. Depois de se formar em Comunicação na Universidade de Lima, uniu-se à primeira geração da EICTV, em Cuba, onde dirigiu, entre outras produções, Barrio Belen, documentário sobre o porto de Havana premiado em Helsinki, Paris e Roma. Seus primeiros curtas-metragens já mostravam seu estilo e ritmo pessoal, como Algo caía en el silencio e Cotidiano, premiados em Nova York, Bilbao, Maryland e Roma. Em 1991, cria sua empresa, Sudaca Films, com sede em Caracas, onde trabalha como diretora, produtora, editora e roteirista. Seu primeiro longa-metragem, A la media noche y media (codirigido com Mariana Rondón), foi apresentado em mais de 40 festivais internacionais, como Tóquio, Rotterdam e Seattle. Como produtora e montadora, estreou em 2007 Postales de Leningrado, vencedor de 23 prêmios internacionais. El Chico que miente, seu segundo longa-metragem, contou com o apoio do CNAC (Centro Nacional Autonomo de CInematografia da Venezuela), do Ibermedia, e do EDD-Alemanha.

    [Continuar Lendo]
  • Micaela Cajahuaringa Schreiber

    Micaela Cajahuaringa Schreiber

    É uma diretora de fotografia peruana que mora em Fortaleza, onde trabalha de maneira independente em longas-metragens de ficção e documentários. Cajahuaringa tem realizado direção de fotografia e de câmera dos longas-metragens produzidos pela Sudaca Films, e pelos quais tem ganhado prêmios internacionais por Melhor Câmera e Melhor Fotografia. Trabalhou principalmente em longas-metragens peruanos, com diretores como Francisco Lombardi, Fabrizio Aguilar, Alvaro Velarde e Ronnie Temoche, entre outros. Formou-se pela Universidade de Lima e, durante o terceiro ano de curso, em 1986, ganhou uma bolsa para estudar na recém-criada EICTV, em Cuba. Especializou-se em Direção de Fotografia, cursando oficinas com cineastas como Francis Ford Coppola, George Lucas, Ricardo Aronovich e Cesar Charlone. Ao sentir a necessidade de complementar a cinematografia e se aprofundar nas artes plásticas para conseguir uma linguagem visual mais integral, estudou durante três anos na Escola de Belas Artes Corriente Alterna e, em 2003, especializa-se na área tecnológica na Corcoran School of Arts, em Washington. Ainda em 2003, volta para a EICTV como docente e chefe da cátedra de Fotografia até julho de 2006. Em Fortaleza, trabalha com o cineasta Marcus Moura na direção de fotografia de seus documentários. Atualmente encontra-se filmando o documentário Imburana.

    [Continuar Lendo]
  • Nadia Destri

    Nadia Destri

    Começou sua carreira no cinema em 1984, no Festival del Film Locarno. Em 1988, juntou-se à 20th Century Fox-Columbia TriStar em Genebra, como diretora de marketing para a Suíça. Em 1990, fundou a sua própria empresa especializada em promoção. Em 1998, começou a trabalhar com o Marché du Film de Cannes e o European Film Market na Berlinale. Tornou-se membro do comitê de seleção do Festival del Film Locarno, foi nomeada chefe do Escritório de Indústria, e participou do lançamento do Open Doors, a oficina de coprodução do festival. Em 2006, Nadia Dresti foi nomeada delegada da direção artística do Festival del Film Locarno, e em 2013 tornou-se também diretora da área internacional do mesmo. Integra a Comissão Federal de Cinema do Escritório Federal de Cultura da Suíça.

    [Continuar Lendo]
  • Sandro Fiorin

    Sandro Fiorin

    Nascido no Brasil, Sandro Fiorin fundou a produtora FiGa Films em Los Angeles, em 2006, com o parceiro cubano-americano Alex Garcia, para descobrir e distribuir conteúdo latino-americano na América do Norte, assim como representá-lo pelo mundo. Criado no Rio de Janeiro, Fiorin estudou na Escola de Cinema da FAAP e na New School em Nova York, onde viveu e trabalhou por 14 anos, antes de mudar-se para a Califórnia em 2001. Cargos no Film Forum, Universal e First Look Films fazem parte de seus 20 anos de carreira na área. É programador do Festival de Cinema Latino Americano no High Museum of Art em Atlanta, e diretor artístico do IndieBrazil Film Festival em Los Angeles. Fiorin foi convidado para participar do júri e conduzir fóruns de discussão sobre a situação da distribuição alternativa em Sundance, San Sebastián, Cannes, Rotterdam, Toulouse e diversos outros festivais. Desde 2010 esteve envolvido na produção de premiados projetos, como Verano de Goliat, Los Viejos e Avanti Popolo.

    [Continuar Lendo]
  • Silvia Cruz

    Silvia Cruz

    Iniciou sua carreira no setor cinematográfico em 2004, na distribuidora independente Pandora Filmes. Durante os três anos em que trabalhou na Pandora, se especializou nas áreas de distribuição de filmes nacionais e de análise de projetos. Distribuiu, entre outros, os filmes O Invasor, de Beto Brant, Tapete vermelho, de Luis Alberto Pereira, e Eu me lembro, de Edgard Navarro. Atuou também na área de exibição, contribuindo com a programação e com o cineclube do Cine Belas Artes, cinema vinculado à distribuidora e localizado na capital paulista. Exerce o cargo de secretária executiva do Fórum do Audiovisual do Cinema desde sua fundação, em dezembro de 2004. Lecionou no curso de Master Business em Audiovisual do Instituto Europeo de Design – IED, e palestrou sobre o mercado de curtas-metragens na Escola Superior de Propaganda e Marketing – ESPM, ambas localizadas em São Paulo. Atualmente dedica-se exclusivamente aos projetos da Vitrine Filmes, distribuidora que fundou em 2010.

    [Continuar Lendo]